Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(d)Eficiente Dona de Casa

Quando se tem uma doença degenerativa não é o fim do mundo. Aprendemos a adaptar o nosso mundo para funcionarmos. Venho dar dicas úteis para quem tem as mesmas dificuldades. Esta sou eu e o meu dia-a-dia.

(d)Eficiente Dona de Casa

Quando se tem uma doença degenerativa não é o fim do mundo. Aprendemos a adaptar o nosso mundo para funcionarmos. Venho dar dicas úteis para quem tem as mesmas dificuldades. Esta sou eu e o meu dia-a-dia.

Filmes que recomendo


31.10.17

8 filmes que recomendo para aqueles dias, em que achamos que a nossa vida está muito difícil, uma tarde com estes filmes e poço garantir que vão ver as coisas de outra maneira. Cá vão

 

1º Me Before You (Eu antes de ti)

9a32a6eb6ff14edf2417f5313e058fea.jpg

Filme romântico onde Luisa Clark uma mulher simples, é convidada a trabalhar e cuidar de Will Traynor, um homem jovem que devido a um acidente ficou tetraplégico. Assim, depois de algumas peripécias devido ao mau feitio de Will, acaba por surgir um romance entre os dois. 

 

2º  The Fault in Our Stars (A culpa é das estrelas)

492423.jpg

 

Apesar de serem apenas dois jovens, Hazel e Augustus sofrem de cancro. Conhecem-se num grupo de apoio para pessoas com cancro e desde aí tornam-se inseparáveis. Vivendo aventuras, como uma viagem a Amesterdão que fazem apesar do estado de saúde, cada vez mais preocupante de Hazel. Apesar das limitações e a sombra de uma doença terminal, apaixonam-se e vivem uma experiência emocionante. Baseada numa história verídica, que aqui entre nós, são sempre as melhores. Emocionante e que faz pensar na vida. Vale a pena ver e ouvir o texto final realmente emocionante.

 

3º Words and Pictures (Palavras e Pinturas)

462163.jpg-c_215_290_x-f_jpg-q_x-xxyxx.jpg

Um filme em que o professor de literatura Clive Owen, achando que as palavras são o mais importante. Entra em conflito com, Dina Delsanto a professora de artes, pintora e professora de artes plásticas que considera as imagens o principal meio de comunicação. Assim surge o duelo e um grande despique entre os professores, enquanto tentam lidar com os seus problemas. Ele um alcoólico em que destrói tudo o que tem em redor, e Dina que lida com artite reumatóide, causa da sua chegada como professora. Com o duelo em curso acabam por se apaixonar e lidar com os problemas de cada um. Linda história de amor e de superação.

 

4º The Theory of Everything (A Teoria de Tudo)

The_Theory_of_Everything.jpg

História baseada na história verídica de Stephen Hawking, o que só por si faz com que seja uma história de superação. Conta a evolução dele como cientista, desde estudante em Cambridge onde conhece a sua mulher e a descoberta da doença degenerativa, neste caso a Esclerose Lateral Amiotrófica que o deixa aprisionado a uma cadeira de roda desde novo. O que não o impede de ser, ainda hoje um dos grandes cientistas da atualidade. Vale a pena ver, sem dúvida.

 

5º The Intouchables (Intocáveis)

hqdefault.jpg

 Amizade improvável entre um homem pobre e um milionário tetraplégico. A teia começa com o milionário Philippe, contrata o outro Driss para que seja seu assistente pessoal e tratar de todo o que envolve a sua condição. Assim, vai surgindo uma amizade entre os dois que vai transformar a vida de ambos. Um filme interessante e que mostra que apesar das limitações tudo é possível.

 

6º Still Alice (O meu nome é Alice)

047f180b414513a33e6b0c822c7937e6.jpg

 Alice Howland é uma mulher com uma família feliz e uma carreira de sucesso como professora universitária. Tudo está bem, até que se começa a deparar com alguns esquecimentos esporádicos, o que a leva a consultar um médico que ao realizar alguns exames, lhe dá a terrível noticia de que sofre de Alzheimer. Alice tenta contrariar a irreversível perda de memória, com alguns truques e jogos mas perdendo cada vez mais o mundo como o conhece. Uma história que retrata o dia-a-dia de familiares e doentes que sofrem desta doença

 

 

7º The vow ( para sempre)

850_hollywood-movie-the-vow.jpg

 

Um casal que espalha felicidade, tem infelizmente um acidente de viação deixa a mulher Paige em coma com um diagnóstico de amnésia. Assim quando vê o marido Leo, não o reconhece e as únicas memórias que tem são do seu ex-namorado que remontam a sua juventude. Uma história de factos verídicos que para mim é das melhores,  ele incessantemente tende a procurar o amor que Paige não se lembra. Vale a pena, sem dúvida.

 

 

8º A Walk to Remember (Um amor para recordar)

A_Walk_to_Remember_-_Pôster.jpg

 

 Um filme de romance do principio ao fim. Jamie uma rapariga simples, filha de um pastor começa a dar aulas ao rebelde da escola Landon. Depois de alguns recuos e asneiras por parte de Landon, os dois acabam por se apaixonar. Mas Jamie esconde um grande segredo, ela sofre de cancro em fase terminal. Este facto faz com que Landon pense nas suas opções e nunca desiste desse amor. O filme não é para todos mas muito bonito sem dúvida.

 

Limitações


27.10.17

Muitas das vezes a nossa cabeça intervêm e faz-nos idealizar aqueles cenários prefeitos em que tudo acontece como queremos, e quando não acontece como queremos daí vem a frustração. Desde pequena que um dos meus vícios preferidos foram os filmes, de preferência filmes como o X-men em que as pessoas mesmo sendo diferentes tinham sempre algo a mais que os outros. 

Eu também gostaria de ter o algo a mais, mas o único a mais que me calhou foram as limitações. Limitações para quase tudo, e para o que não há a minha mente também consegue inventar algumas, o nosso cérebro é maravilhoso mas às vezes seria bom retirar algumas coisas. É difícil muitas das vezes distinguir as limitações reais, das limitações impostas. Numa conversa certa vez com uma amiga ela dizia-me que gostaria de viajar, mas que nunca teve a sorte de ir mesmo tendo dinheiro, ao que eu disse que seria fácil de ir, apanhava o avião e podia ir. Ela respondeu logo que não iria conseguir fazer uma viagem sozinha. A verdadeira limitação está no cérebro porque certamente se fosse mesmo necessário ela poderia fazer a viagem, mas o cérebro diz-lhe que nunca poderia ir sozinha. 

Gostaria de poder ter menos limitações é verdade, gostaria de poder dar longos passeios a pé, de andar descalça na praia e ir e vir da água quantas vezes me apetecesse. Mas isso é uma limitação física, nada a fazer, a única opção é tentar viver o mais fácil possível. 

Quando era nova achava que era o centro das atenções, onde quer que fosse e detestava. Eu evitava de sair de casa para não ser alvo dos constantes olhares, queixando-me várias vezes que não era extraterrestre para as pessoas estarem constantemente a olhar. Com a idade vem sabedoria também, hoje em dia vejo que isso me incomoda mais ou menos consoante o meu estado de espírito. Nos dias em que simplesmente estou bem comigo os olhares desaparecem, eles não desaparecem é certo mas parecem menos significativos.

Então temos aqui a repost, tentando controlar o cérebro e a nossa maneira de pensar é sem dúvida o meio de ter um estado de espírito mais relaxado. Lembrem-se sempre de respirar fundo, porque o ar é essencial a vida ;) .

 

59cc33025508c.jpg

 

 

Rotina de Dona de Casa


26.10.17

          A rotina é um pau dois bicos. Para pessoas que estão diariamente em casa a rotina de ir trabalhar deixa de existir, e uma pessoa vê-se sem ter motivo para se levantar. Felizmente nem todas as donas de casa são assim, maior parte têm filhos e assim levantam-se e o trabalho nunca acaba, têm horários para levar e buscar filhos a escolas e creches.. Mas para mim, que não tenho esses afazeres, as manhãs e os dias iam ficando vazios. Quando isto me aconteceu fiquei um bocado perdida, deixei de ter motivo para me levantar da cama.

          Decidi  então fazer uma rotina para mim, uma que eu seguisse diariamente para poder ter a minha rotina. Instalei uma aplicação de tarefas e lá comecei eu. Todos os dias coloco um despertador, não devemos deixar-nos estar na cama e acordar quando apetecer, o despertador é importante para uma vida ativa. E começo sempre o meu dia com exercício, para me manter ativa e me sentir melhor, ás vezes não me apetece é certo, mas quando me obrigo depois sinto-me sempre melhor.

           Tenho sempre as tarefas domésticas para fazer, uma não há hipótese de coordenar porque tem de ser feita todos os dias, às refeições não há hipótese de fugir, todos os dias cozinho e tenho de ter tempo para ter as refeições prontas a tempo, muitas das vezes a tarefa começa no dia anterior, pensando no que fazer para descongelar e confecionar no dia seguinte. Depois temos as restantes tarefas, como lavar roupa, estender, limpar pó, aspirar e todo o trabalho que uma casa dá. Para mim preferia fazer tudo num só dia e estava feito, mas as coisas nunca são como queremos e se antigamente fazia tudo num dia sem problema, hoje em dia não é assim. Aprendi uma coisa que se chama gestão de esforço, coisa tão linda, aplicada muitas vezes a jogadores de futebol mas no meu caso consiste a aprendermos os meus limites e gerir o esforço de maneira a parar antes de chegar ao limite, assim todos os meus esforços tendem a ser programados.

      O que é que eu quero dizer com isso? Por exemplo, no dia em que tenho de ir ao supermercado buscar alguma coisa que falta, que acontece todas as semanas apesar de ir às compras todos os sábados, nesse dia eu não faço tarefas domésticas para que não fique cansada e não haja um sobrecarregamento dos músculos. Cada esforço não calculado e que ultrapasse o meu nível de conforto, normalmente o meu corpo faz-me pagar caro, com crises e dores musculares.

          Assim, na minha aplicação faço a programação dos meus dias. Claro que temos coisas que não se pode programar, mas é uma maneira de ter obrigações a fazer, faz com que nos sentirmos mais ativas do que pensar "hoje não me apetece, amanhã talvez faça". Fugir da rotina também é importante, ninguém aguenta estar todos os dias em casa, rodeada de tarefas domésticas. Por isso tenham tempo para vocês, eu gosto de ir a um café ou um jardim ler um livro, passear no shopping ou até ir dar uma volta de carro.  As nossas vidas dão voltas e temos de tentar viver o melhor que podemos e sabermos, para nos sentirmos bem psicologicamente, porque a chave é nos sentirmos bem.

TopSul Notícias - Crissiumal - RS - www.topsulnot

 

 

 

Molho de Tomate


24.10.17

É uma dica prática e fácil de fazer. Facilita muito o trabalho na cozinha. 

Ingredientes

3 latas de 800gr de tomate pelado

2 cebolas grandes

4 dentes de alho

azeite qb

salsa qb

 

Coloco os ingredientes num tacho e deixo refogar bem em lume brando até todos os ingredientes estarem cozidos. Entretanto fervo os frascos para depois colocar o molho, é bom ferver os frascos ficam esterilizados e o molho dura mais tempo. Quando o molho já estiver cozido, passo a varinha mágica e coloco nos frascos. Fácil fácil. Ao colocar o molho nos frascos não encho até ao cimo porque, coloco depois no congelador e vou descongelando conforme a necessidade. Podem colocar também outro tipo de especiarias, como oregãos e cominhos, eu só coloco salsa porque como se pode usar tanto em peixe, carne ou massa, algumas não se aplicam. E coloco na altura em que estou a cozinhar. Fica ao gosto de cada um.

WP_20171023_001.jpg

 

 

É super prático, assim não tenho de descascar cebolas e alhos cada vez que faço um refogado, e é uma forma de ter uma tomatada mais saudável. Claro, que o ideal era ter tomates naturais, e quando é a altura deles é com eles que faço, mas em falta de melhor as latas também resolvem. Espero que tenham gostado.

Vídeo de superação (Muniba Mazari)


23.10.17

Estou a partilhar este vídeo, porque acho que é um grande vídeo de inspiração. Acho que ela tem as ideias certas, temos de aprender a aceitar-nos como somos. Ela não olhou o acidente como algo fatídico e como algo que acabaria com a sua vida, claro que a vida se torna mais limitada. Torna-se mais difícil fazer coisas do dia-a-dia como ir ao multibanco, mas temos de ver os desafios e de alguma maneira olhar para a frente. Tentar viver o melhor possível e ser feliz, porque essa é a razão pela qual nós cá estamos. Por isso, vejam este testemunho e de alguma maneira tentem na vida ter algum desde espírito de superação. Acho que todos podem de alguma maneira tirar uma lição na vida desta mulher.

 

 

 

Exercício


20.10.17

É sempre recomendável fazer algum tipo de atividade física. A fisioterapia é a mais recomendada pelos médicos em geral. Eu tal como muitos doentes, já passei por alguns hospitais para fazer fisioterapia. Mas nada é consensual, alguns sítios esforçam-se para nos ajudar da melhor maneira que sabem, acredito nisso, mas a verdade é que raramente se encontra nos hospitais, profissionais que têm a especialidade para trabalhar com doenças degenerativas do foro neurológico. A diferença de resultados que se tem é imensa. Estive durante 1 ano na fisioterapia hospitalar e não tive os resultado que tive num centro de reabilitação durante 2 meses. E não ia com nenhum objetivo, nem expectativa. Sim eu sei que a nível hospitalar eles não têm o mesmo tempo, que ao mesmo tempo têm montes de pacientes, eu sei disso e o facto de ter uma doença rara não ajuda. Mas ainda para facilitar temos alguns profissionais que na sua opinião, doentes com doenças crónicas não deviam ser tratadas a nível hospitalar, mas noutro local onde fizessem uma manutenção regular, no entanto nosso país pelo que sei, maior parte dos doentes são tratados a nível hospitalar e sinceramente não sei se haverá alternativa. Para não falar de que em algumas zonas do nosso Portugal, para ter acesso a algum tipo de tratamento temos de nos deslocar dezenas de quilómetros, o que para um tratamento que deveria ser frequente, se torna difícil. Eu optei por outro método, acredito que o melhor médico somos nós, porque nós é que vivemos dia-a-dia com o nosso corpo. Não quero dizer com isto que dispenso os médicos, mas que consigo fazer uma manutenção diferente porque sou eu que sinto as dores, as limitações e as alterações diariamente. Assim pedi uns exercícios a um fisioterapeuta especializado para poder fazer em casa e assim faço diariamente para poder exercitar o corpo e ter mais mobilidade. Alguns exercícios de alongamentos, extremamente importantes para nós, e alguns de musculação, sejamos sinceros o corpo habitua-se a estar sentado. Temos de tentar ter atividades para que a perda muscular não seja tão rápida, claro que não resolve mas ajuda nas dores musculares. Há um site na Internet que eu acho bastante bom, tem várias modalidades na maneira que explicam os exercícios  e podem fazer em casa, a página é: https://www.exercicioemcasa.com.br

Por isso seja o que for, bicicleta, musculação, natação o que interessa é mover os músculos com consciência, porque o excesso de exercício também pode ser prejudicial.

transferir (4).jpg

 

 

 

Dica orquídeas


19.10.17

Um dos meus maiores vícios são sem dúvida as flores. Tenho várias e de várias espécies, mas uma das minhas preferidas são as orquídeas. Tenho várias espécies, mas a que tenho tido mais resultado são as phalaenopsis, são também as que mais se vê a venda nos supermercados. À conversa com várias pessoas vejo a dificuldade que têm em cuidar delas, na minha opinião mais por falta de informação, porque não são mais difíceis de cuidar do que qualquer outra planta. Por isso, decidi fazer aqui um post para mostrar as pessoas que dizem não ter sorte com este tipo de orquídeas como eu faço. Pois bem, 

1º Escolha da planta, cuidado com as plantas que já vêm conchonilhas, que é das pagas mais comuns entre as orquídeas, e muitas das vezes elas já estão contaminadas quando chegam a casa. Pesquisem sobre isso, e ao mínimo indicio não comprem.

2º Os vasos que elas normalmente trazem, os transparentes, são transparentes por um motivo. Esta espécie tem a capacidade de fazer a fotossíntese pelas raízes e muitas das vezes as pessoas colocam-nas em vasos lindos, mas que tapam a claridade na raiz o que faz com que a planta não fique saudável. Deixem esses vasos assim, transparentes. 

3º Quanto a iluminação, basta observar as folhas. Normalmente não gostam de luz direta, o que faz com que as folhas apareçam com manchas castanhas, logo um local que receba sol, não será o mais indicado. Um local com claridade mas sem sol direto será o ideal, perto de uma janela será um exemplo.

4º No caso da adubação, não sou especialista, por isso qualquer adubo para orquídeas e usado com as instruções do fabricante deverá fazer o esperado. No meu caso gosto dos adubos líquidos que misturamos com água e que se coloca mensalmente.

 5º Agora vamos ao truque que aprendi com uma senhora que cultivava bastantes. Então é assim, para regar é colocar a orquídea num alguidar com a água a tépida, água a temperatura da mão. De maneira a que coloque a mão e não esteja quente mas nem fria, esteja a temperatura ambiente. Assim colocamos lá a orquídea por aproximadamente 10 minutos. Depois do tempo decorrido, deixamos que a água escorra do vaso completamente e colocamos novamente no sitio escolhido. Quando saber se deve voltar a regar, nestas orquídeas é fácil basta olhar para as raízes, quando tiverem num tom de cinza, voltamos a regar. Lembrando que é mais fácil matar uma orquídea com excesso de água, do que com falta dela. Por isso, eu rego as minhas de 15 em 15 dias no inverno e de 8 em 8 dias, ás vezes mais, no verão. Certo que, essas referencias dependem do ambiente onde as orquídeas estão. Uma orquídea dentro de casa aqui não tem as mesmas necessidades que uma orquídea no Brasil por exemplo.

 

E assim, penso que cobri todos os aspetos de cultivo das orquídeas phalaenopsis, e assim terão lindas plantas que lhes vão dar de presente lindas flores.

Algumas das minhas:

  13592320_1094069613972775_1235903339688930122_n.jp20768172_1480723638640702_1477888437759890586_n.jp18813813_1404686179577782_89855193387997482_n.jpg

 

 

 

 

 

Atendimento Prioritário


18.10.17

As vezes é difícil fazer valer os nossos direitos, quando as pessoas estão habituadas a identificar um deficiente motor pela sua cadeira de rodas. Nem todos os deficientes estão numa cadeira de rodas, felizmente. Temos várias variantes de deficientes, é verdade somos muitos, temos os deficientes auditivos, os deficientes físicos, os deficientes mentais e os deficientes visuais. E mesmo sendo inserido nos deficientes físicos, nem todos têm a necessidade de andar de cadeira de rodas. Assim vamos ver uma coisa, a prioridade de atendimento é cedida a portadores de deficiência ou incapacidade, com atestado multiusos com percentagem superior a 60%, pessoas idosas com mais de 65 anos, grávidas e pessoas acompanhadas de crianças de colo, nada na lei diz a obrigatoriedade de deficiência visível certo? Então, eu sou deficiente e felizmente só uso uma cadeira de roda em casa, só quando estou pior uso umas canadianas para me deslocar no exterior. Assim quando vou normalmente ao supermercado ou banco vou em pé, com dificuldade mas vou. Já não é a primeira e a segunda vez que o assunto da prioridade torna a minha vida complicada. Eu não sou de pedir prioridade, mas quando preciso faço valer os meus direitos. Vou contar algumas situações. No banco, para além de estar cheio de gente nesse dia, os bancos estavam todos ocupados. Pois é, para mim desde que tenha um banco espero, mas nesse dia não havia banco e eu em pé não aguento, então dirigi-me a senhora mais próxima para lhe expor a minha situação. A senhora olha para mim com uma cara de poucos amigos e diz-me " Tenho aqui muitas pessoas com mais de 65 anos, o que é que acha que eu poço fazer se todos pedirem prioridade?" pois é, agente sabe que há várias pessoas com prioridade, mas eu fui a única a solicita-la. Depois de alguma discussão, a senhora lá chamou o gerente que me atendeu. Houve outra vez que num supermercado, quando solicitei a prioridade a senhora olhou para mim e perguntou se estava grávida, ao que respondi que não. Então a senhora disse que se não estava grávida, nem era idosa então não tinha direito a prioridade. Pois, mas esqueceu-se do outro caso que tem prioridade. Neste mundo que é tão ligado a aparências, a minha deficiência só é visível quando as pessoas querem, porque se for para me olhar incessantemente para ver se descobrem o que tenho, aí já a deficiência é visível. Enfim, podia ficar aqui o dia inteiro a dar exemplos de situações que aconteceram comigo quando solicitada a prioridade. A lei diz que qualquer entidade pode solicitar o atestado multiusos, por isso solicitem. Tendo em atenção que a não prestação do atendimento prioritário, pode resultar numa contraordenação que é punível com coimas que podem ir dos 50 euros aos 1000 euros. Mais uma vez o civismo e o bom senso devia prevalecer.

 

 

Link : http://info.portaldasfinancas.gov.pt/NR/rdonlyres/4F3A2351-8925-48FF-AA57-262B39A102E4/0/Decreto_Lei_58_2016.pdf

 

transferir.png

 

 

 

Lugares de estacionamento reservado a deficientes


17.10.17

Vamos ver uma coisa que para mim faz todo o sentido. Os lugares para deficientes foram criados para colmatar a necessidade das pessoas com deficiência, para haver mais acessibilidade e proximidade dos serviços, certo? Muito bem, não foram feitos para ir a loja durante 5 minutos, nem para ficar no carro a ler o jornal enquanto a mulher vai as compras e nem para ser usado como último recurso quando não há mais lugares disponíveis. Então para as pessoas que fazem isto, pensem que para um deficiente estes lugares são muitas vezes a única hipótese que eles têm de estacionar. Porque se esse lugar estiver ocupado e tiver de estacionar mais longe, já não consegue chegar ao seu destino. Sim, eu sei que podemos chamar a policia mas imaginem este cenário. Torna-se complicado para uma pessoa de cadeira de rodas deixar o carro no meio da estrada, tirar a cadeira de rodas, ir ver se a pessoa tem dísticos ou não para chamar a policia, e com um bocado de sorte quando a policia chegar o carro já foi embora porque era só um minutinho. Pois é, eu própria já cheguei a um supermercado e todos os quatro lugares de deficientes, atenção eram quatro, estavam ocupados por pessoas que não tinham dístico. Reclamei claro, mas atenção em parques privados a queixa tem de ser realizada junto da própria entidade privada, não adianta chamar a policia. Se as pessoas não sabem ter civismo por elas alguém tem de fazer valer os seus direitos, cabe a nós portadores de dístico de mobilidade reduzida o direito de usufruir desses lugares.  E visto que temos a lei do nosso lado, reclamem e façam o que for necessário. Para além de ser falta de respeito e em título de informação, saibam que o estacionamento indevido é considerado uma contra-ordenação grave, o que pode resultar em redução de dois pontos da carta de condução, e também pode acrescentar a uma sanção acessória que pode ir dos 60 aos 300 euros. Por isso, sejam civilizados oki?

Link legislação portuguesa: http://www.inr.pt/bibliopac/diplomas/dl_114_94.htm

 

deficientes.png

 

Doença degenerativa


16.10.17

Já estive várias vezes na situação, em que tive de dizer a alguém que tinha uma doença degenerativa rara, (o nome nem vale a pena pronunciar porque ninguém entende), logo a pessoa olha para mim como se eu fosse morrer amanhã. Houve alturas até que a pessoas começa a chorar e aí o que fazer? Bem eu não acho que vá morrer amanhã, acho que ninguém sabe o dia da morte, por isso parem com esse estigma. Cada vez que isso me acontece ainda me sinto pior. É grave, eu sei mas já basta o que temos de lidar quando mais ainda ter de tentar consular a pessoa. Prefiro que me olhem nos olhos e digam " estou aqui para o que precisares", mas sejamos sinceros talvez no dia em que precise mesmo, se conte pelos dedos de uma mão os que realmente lá estarão. Divagação a parte, as pessoas com doenças degenerativas são pessoas como as outras mas com mais dificuldades e limitações, ninguém gosta de ver pena nos olhos de outra, nem que tenha uma sentença lida. É difícil para todos, não só para o doente como para a própria família e fazer certos comentários não ajuda. Se houvesse cura não acham que eu saberia? E talvez se consultar este e outro médico, pois médicos já eu tenho muitos e hoje em dia com a Internet toda a gente tem acesso a informações. Sei que as pessoas estão a tentar ajudar, mas de certa maneira fazem sentir que eu não me esforço o suficiente. Lol é o sonho de qualquer pessoa estar reformada com 30 anos com uma doença incurável. Enfim a vida é complicada para todos e todos e todos temos problemas por isso não faz mal nenhum tentarmos "vestir" na pele dos outros de vez em quando...

 

Ouça-e-Compreenda.jpg

 

 

Pág. 1/2

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D