Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(d)Eficiente Dona de Casa

Quando se tem uma doença degenerativa não é o fim do mundo. Aprendemos a adaptar o nosso mundo para funcionarmos. Venho dar dicas úteis para quem tem as mesmas dificuldades. Esta sou eu e o meu dia-a-dia.

(d)Eficiente Dona de Casa

Quando se tem uma doença degenerativa não é o fim do mundo. Aprendemos a adaptar o nosso mundo para funcionarmos. Venho dar dicas úteis para quem tem as mesmas dificuldades. Esta sou eu e o meu dia-a-dia.

Devia aprender abrir a boca, na altura certa...

19.07.19

089765291640f03dfe3e89b1f05a565e.jpg

 

Se há coisa que não gosto é que estranhos me venham dizer o que eu consigo ou não fazer... As limpezas grandes de Verão são complicadas para qualquer mulher, certo? Então decidi e procurei ajuda, vi uma empresa e pedi um orçamento, até aqui tudo normal.

 

Segundo sei, qualquer mulher pode contratar serviços de limpeza, sem que isso seja considerado um pedido desesperado de ajuda. O Sr vem a casa para fazer o orçamento, abro a porta cumprimento o Sr. e vou explicando o que pretendia com a limpeza na casa. Retirar as máquinas e móveis dos locais, limpeza de armários, pronto o normal nestas limpezas mais a fundo, quando ele se vira e diz "Ah pois, precisa de uma limpeza a fundo porque você não consegue" isto dito a olhar para mim e para a minha Rodinhas. Pois, se calhar não consigo, talvez a supermulher consiga levantar máquinas de lavar sozinha, eu ainda não.. 

 

A conversa continua, depois lembra-se de descaradamente dar a entender que eu precisava de uma empregada semanalmente, porque eu não conseguia cuidar da casa (e não estava só a tentar arranjar clientes, queria dar uma mãozinha porque lá está, "eu não conseguia" ). Lá porque estou numa cadeira de rodas, não quer dizer que não possa tomar conta da casa. E como qualquer mulher a decisão de ter ou não ter uma pessoa semanalmente para ajudar nas limpezas, é minha. As pessoa precisam de deixar de supor coisas que não sabem.

 

Isto também é discriminação, porque lá por estar numa cadeira de rodas não dá direito às pessoas de supor o que eu posso ou não posso fazer. Dentro do respeito e da boa educação deveria ter ensinado aquele homem que não é assim que se fala para alguém como eu, mas não, como sou totó continuei a falar com ele como se fosse algo normal de se dizer.. Enfim tenho de aprender a falar as coisas na altura certa, em vez de ficar a remoer as atitudes incorrectas que as pessoas têm comigo...

 

Conclusão, tenho de ir à procura de outra pessoa que me ajude ...

 

Bom fim-de-semana 

 

Link da imagem

2 comentários

  • Imagem de perfil

    A Eficiente

    21.07.19

    Ainda bem que compreendes, não é muita gente, muitas das vezes também oiço essa do "não fiques chateada, é para o teu bem" ou "tens de compreender o lado das pessoas" e o meu quem é que vai entender? Nada disto é fácil e os olhares de "aí coitadinha" são os que magoam mais..
    Grande dica que me deu, vou pôr em prática e vai ser bastante útil acredita...
    Muito obrigada mesmo
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.