Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(d)Eficiente Dona de Casa

Quando se tem uma doença degenerativa não é o fim do mundo. Aprendemos a adaptar o nosso mundo para funcionarmos. Venho dar dicas úteis para quem tem as mesmas dificuldades. Esta sou eu e o meu dia-a-dia.

(d)Eficiente Dona de Casa

Quando se tem uma doença degenerativa não é o fim do mundo. Aprendemos a adaptar o nosso mundo para funcionarmos. Venho dar dicas úteis para quem tem as mesmas dificuldades. Esta sou eu e o meu dia-a-dia.

Manter a auto-estima

10.12.18

 

autoestima-nao-e-excesso-de-confianca-e-saber.jpg

 

Tenho de confessar que este tema não é fácil para mim. Eu, talvez como em todas as mulheres, a minha auto-estima tem fases, mas nunca foi muito alta esta é a verdade. Mas também acredito no nosso poder para mudar o que achamos mal, assim acho que temos de trabalhar para tentar ter alguma.

 

Estar em casa, sem ter de ir trabalhar, é complicado. Nos primeiros meses, tudo bem, parece que estamos de férias e a coisa vai passando. Mas depois de anos, as coisas vão se tornando chatas. Imaginem a roupa confortável que usam em casa no fim-de-semana, ser usada todos os dias. Todos os dias as calças de treino, as camisolas confortáveis e os casacos (dependendo da altura do ano). Começamos a não nos importar de como nos vestimos, afinal não vamos sair, né?

 

Pois mas esse desleixo e acrescentando uma doença, e uma cadeira de rodas, dá cabo da minha auto-estima. Não estou aqui para me queixar. Só decidi fazer alguma coisa quanto a isso.

 

Vou tentar implementar algumas medidas no meu dia-a-dia, para aumentar a minha auto-estima, cuidar mais de mim, para me sentir melhor comigo mesma. Vou pensar nas coisas que vou mudar e voltar aqui para vos contar, se alterou alguma coisa, ou se foi só fogo de vista (às vezes acontece). Pode ser que seja útil para alguém.

 

Link imagem

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.