Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(d)Eficiente Dona de Casa

Quando se tem uma doença degenerativa não é o fim do mundo. Aprendemos a adaptar o nosso mundo para funcionarmos. Venho dar dicas úteis para quem tem as mesmas dificuldades. Esta sou eu e o meu dia-a-dia.

(d)Eficiente Dona de Casa

Quando se tem uma doença degenerativa não é o fim do mundo. Aprendemos a adaptar o nosso mundo para funcionarmos. Venho dar dicas úteis para quem tem as mesmas dificuldades. Esta sou eu e o meu dia-a-dia.

Papel famíliar..

09.10.18

 

família 2.jpg

 

 

Há um tempo houve um almoço de família, a minha família é grande, com tios e tias e primos e maridos das primas e filhos das primas é muita gente, mas mesmo no meio de tanta gente tenho sempre tratamento especial.

 

Cada vez que há aniversários, almoços ou lanches eu tenho sempre a melhor cadeira, a mais almofadada para estar bem sentada e tenho sempre alguém disponível para me ir buscar o comer, a sobremesa e até o café. Quando pego em alguma criança, vem logo alguém dizer "Cuidado não magoes a prima", mesmo a criança estando sossegada ao meu colo a conversar. Por um lado é bom claro, sei que se importam e que só querem que esteja confortável, mas às vezes fico a pensar. Será que se fosse "normal" teria o mesmo papel na família.

 

Provavelmente não, o papel na minha família é de certa forma condicionado pela minha doença. Para o bem ou para o mal, a minha doença acaba por condicionar a maneira como sou tratada pelas outras pessoas e nem só as que não me conhecem, as que me conhecem também acabam influenciada... É a vida..

 

9 comentários

Comentar post