Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(d)Eficiente Dona de Casa

Quando se tem uma doença degenerativa não é o fim do mundo. Aprendemos a adaptar o nosso mundo para funcionarmos. Venho dar dicas úteis para quem tem as mesmas dificuldades. Esta sou eu e o meu dia-a-dia.

(d)Eficiente Dona de Casa

Quando se tem uma doença degenerativa não é o fim do mundo. Aprendemos a adaptar o nosso mundo para funcionarmos. Venho dar dicas úteis para quem tem as mesmas dificuldades. Esta sou eu e o meu dia-a-dia.

Porquinhos-da-índia

27.11.18

pdi.jpg

 

Sei que não são propriamente os animais de estimação mais populares em Portugal, mas foram os eleitos por mim. Já tive vários durante anos, e de momento tenho dois. Dois machos um de raça peruano e outro que é sem raça definida.

 

Contam que não é fácil ter machos, mas na minha experiência, desde que os juntem desde pequenos com aproximadamente a mesma idade, e se não houver fêmeas em casa, não haverá problema. Os meus dão-se bem, nunca tive problema nenhum, nunca se morderam nem houve qualquer tipo de luta. Têm feitios completamente diferentes, um continua a ser o mesmo porquinho pequeno e tem o feitio de uma criança, resmunga e foge para debaixo do outro sempre que pode. O peruano é o líder do cercado, é visivelmente ele que manda, gosta de dormir descansado e é sempre o primeiro a pedir comer.

 

Mas o intuito de estar a fazer o post, não é falar deles (embora adore), é mais um concelho. Os porquinhos-da-índia (PDI) são queridos, fofinhos e toda a gente se apaixona por eles nas lojas de animais. Mas ter um PDI, é uma grande responsabilidade tanto a nível de cuidados como a nível monetário. Para além do material inicial que é preciso adquirir para os alojar, é necessário ração, feno, vegetais e forração para o alojamento. Independente do material que se escolha é uma despesa mensal para não falar nos veterinários, podem não saber mas estes animais, que antigamente eram comuns em quintas pertencem a um grupo de animais exóticos, e acreditem não é fácil encontrar veterinários especialistas em animais exóticos.

 

São animais sensíveis, têm várias especificidades com a higiene e a alimentação. São animais medrosos e stressados. Difíceis de criar confiança, mas logo que confiam são uns queridos. Não são animais de passear na rua e extremamente sensíveis. Pesquisem, informem-se.

 

Pensem, antes de levarem um animal para casa ou pensarem em oferecer um animal, tenham a certeza que esta pessoa está ciente do que é ter um animal, não só estes, mas todos os animais. Vejo muitas vezes pessoas a tentar desfazer-se dos PDI, depois de uma semana ou duas em casa só porque dizem dar muito trabalho. Pois tudo dá trabalho... Pensem primeiro...

 

Link imagem

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.