Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(d)Eficiente Dona de Casa

Quando se tem uma doença degenerativa não é o fim do mundo. Aprendemos a adaptar o nosso mundo para funcionarmos. Venho dar dicas úteis para quem tem as mesmas dificuldades. Esta sou eu e o meu dia-a-dia.

(d)Eficiente Dona de Casa

Quando se tem uma doença degenerativa não é o fim do mundo. Aprendemos a adaptar o nosso mundo para funcionarmos. Venho dar dicas úteis para quem tem as mesmas dificuldades. Esta sou eu e o meu dia-a-dia.

Lições da Doença


25.01.19

 

a-vida-por-si-so-muda-e-ensina-basta-querer-aprend

 

 

Há coisas que vamos sempre aprendendo, e uma doença também é capaz de nos ensinar. A doença ensinou-me na vida que: "O que não tem solução, solucionado está". Pois é dando um exemplo, há um tempo estava sozinha em casa e queria abrir um pacote de bebida de soja, (daqueles que inventaram agora, com umas tampas pequenas e maravilhosas), eu sei que usei todas as ajudas técnicas e material que existem em casa (os que me ajudam abrir as rolhas), mas nada resultou.

 

Neste panorama temos duas opções:

1º- Fico frustrada e com raiva

2º- Assumir que não dá e seguir em frente.

 

Tento sempre optar pela segunda hipótese, aprendi a optar pela segunda hipótese quase todos os dias. E assim, esse ensinamento foi-se aplicando na minha vida. Deixei de insistir com pessoas que acham que estão certas. Quando há aquelas pessoas que estão erradas mas insistem que têm razão, sabem? Pois, eu já não insisto, se não querem assumir que estão erradas e aprender azar, problema delas, por isso toca andar para a frente, porque a minha saúde mental é mais importante. E é assim as doenças também nos dão lições importantes para na vida.

 

Link da imagem

Adaptações


07.12.18

adaptação.jpg

 

Parece que na minha vida ando sempre em períodos de adaptação. Adapto-me a ser uma criança diferente, passo por hospitais, uso botas ortopédicas. Depois adapto-me a ter uma doença degenerativa, alterações nos pés, alterações nas mãos. Adapto-me a andar com talas, muletas e cadeira de rodas.

 

Passo a vida a tentar adaptar-me, essas adaptações nem sempre são fáceis, nem sempre sei lidar bem com as coisas. Às vezes penso que já estou bem adaptada, mas por vezes dou por mim a ter pensamentos que não são de quem se adaptou, mas de quem tenta de certa forma lidar com a realidade.

 

Isso aconteceu com a minha rodinhas (cadeira de rodas), está a ser uma adaptação difícil sentir-me eu, num contexto diferente. Eu sei que estou com ela à um ano, aproximadamente, e anteriormente tinha uma emprestada.. Já estou dependente dela em casa à algum tempo, mas se calhar não o tempo suficiente para encaixar esse facto e essa minha realidade. Porque não posso fingir que estou simplesmente sentada num sofá com rodas. Tenho de tentar sentir-me mais eu, esteja numa cadeira de rodas ou onde for. Mas não é fácil, não é fácil mas não hade ser impossível. Por isso mãos à obra, vamos para a frente que atrás vem gente.

 

Link da imagem

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.